Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1SimplesDesconhecido

Sou mais uma pessoa que decidiu criar um blog, entre milhares, o que me leva a acreditar que provavelmente ninguém vai ter interesse em ver mais um... mas mesmo assim, decidi experimentar! ;)

20
Abr17

Ela partiu...

... Já nunca mais vou poder vê-la, falar com ela, fazê-la sorrir, dar-lhe um abraço e um beijinho, nunca mais... E nunca mais é tanto tempo...

 

Ela, irmã da minha avó, tia da minha mãe, minha segunda tia, por quem eu tinha um carinho especial, por quem a minha mãe tinha um carinho especial... Ela era como uma irmã mais velha para a minha mãe... Nestes tempos  em que esteve doente era a minha mãe e a minha tia quem mais a ajudava, faziam mais do que as próprias filhas...

 

Ela sofreu, lutou, tirou os dois peitos e lutou, sentiu-se melhor, o cabelo cresceu, olhávamos para ela e estava melhor, estava bem... Estava tão bem... Sentiu uma dor, voltou ao médico, a partir daí foi tudo tão rápido, demasiado rápido... Já estava tudo espalhado, da cabeça aos pés... Só com um milagre... Sofreu mais... Os médicos davam-lhe meses, começou a fazer tratamentos paliativos... Durou semanas...

 

O seu último desejo foi o de ver a neta recém-nascida que estava no estrangeiro, viu a neta no sábado à noite, nessa mesma noite foi para o hospital... 

 

Domingo de Páscoa, liga-me a minha tia a dizer que ela estava no hospital e que provavelmente iria passar lá o aniversário... Assim foi, a família mais próxima cantou-lhe os parabéns no hospital, os médicos já não a deixaram voltar a casa...

 

Ela partiu, na segunda-feira de Páscoa, um dia depois do seu aniversário, 65 anos... O cancro venceu, a merda do cancro venceu...

 

A última vez que a vi foi na segunda-feira anterior, fizemos-lhe um "piquenique" na cama, bolos e vinho do porto, estava bem-disposta... Nessa noite, a filha dela disse-lhe que ia ver a neta no sábado, afundou-se na cama e suspirou de alívio... A minha mãe e a minha tia dizem que a viram desistir ali, entregou-se...

 

No Domingo à noite lembro-me de o meu tio dizer que tinha o pressentimento que ela ia partir... Lembro-me de comentar com a minha prima, de lhe dizer: - Sara, se na segunda feira foi a ultima vez qua a vimos, vimo-la bem... Foi uma boa despedida...

 

Segunda-feira e ontem foram dias menos bons... Segunda, 07h30 da manhã, a notícia, chorei, deitei cá para fora, sozinha e junto dos meus pais, depois vinham-me as lágrimas aos olhos durante o dia, mas tinha que ser "forte"... Vi a minha avó a chorar, as minhas tias, os meus tios, as minhas primas, a minha mãe... Distribui lenços, água, chá, dei abraços, beijos, tentei consolar...

 

A Leonor abraçada a mim, a minha pequena a chorar, e eu a engolir as minhas lágrimas... - Eu sei que dói Leonor, chora, se queres chorar, chora... Não faz mal, isso vai passar...

 

A minha tia, na segunda à noite, a entrar em minha casa, completamente alterada, sem conseguir respirar, aos gritos, a chorar...

 

A minha mãe, que se aguentou na segunda-feira, ontem, na despedida a ela, completamente de rastos, a chorar desalmadamente, a dizer que não fez tudo por ela, que ela partiu na mesma...

 

Automaticamente toda a gente começou a olhar e a chorar também... Todos de olhos vermelhos e inchados, todos a tentarem-se acalmar uns aos outros... As minhas tias a acalmarem-na, a dizer que ela partiu descansada, concretizou o seu último desejo... Que iria sofrer mais se cá ficasse...

 

Apesar de tudo, consegui manter a calma, não achei que conseguisse, mas consegui, a minha calma natural deu jeito... Ontem já não chorei, tinha que me aguentar...  Tive que me aguentar... Foi uma despedida emotiva, ela era tão boa pessoa, foi tudo tão rápido, porra!!!

 

Um Beijinho enorme, Tia Laura...

 

A Desconhecida

 

71 comentários

Comentar post

Pág. 1/4