Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1SimplesDesconhecido

Sou mais uma pessoa que decidiu criar um blog, entre milhares, o que me leva a acreditar que provavelmente ninguém vai ter interesse em ver mais um... mas mesmo assim, decidi experimentar! ;)

28
Ago17

Rapazes...

Sou solteira. Gosto de ser solteira. Há umas semanas atrás conheci um moço, numa das minhas saídas, na discoteca. Um moço bem parecido, ou pelo menos pareceu-me bem parecido, sabem que com aquelas luzes, e com um copito de vodka, pronto...

 

Vi que ele não descolava o olhar de mim, olhei também. Falamos, ele elogiou-me, bastante. Achei que era extremamente fácil falar com ele, pareceu-me tão familiar, achei que já o conhecia há mais tempo... Depois, uma típica fala deles, "vou te procurar no facebook!". Não tenho facebook, amigo, nem qualquer outra rede social. Trocamos os números de telemóvel. Ele diz-me logo que sou diferente, diferente das outras, outra fala típica deles... ai estes rapazes...

 

Trocamos mensagens. O rapaz é fofinho, queridinho, atencioso, um bocadito chato também, já disse que gosto de ser solteira, não é?! Quando mando mensagens mais tarde, ou naquele dia não mando, ele queixa-se, "pensei que te tinhas esquecido que eu existia!?" Afinal quem é a rapariga?!

 

Não tenho paciência para isto, estar sempre a trocar mensagens fofinhas com alguém, não tenho, pronto. Mas ele continua, mensagens pirosinhas, mensagem a dar-me os parabéns, foi ele o primeiro, mensagens cheias de erros ortográficos, que me põem... 

 

O moço diz que desde aquela noite, a prioridade dele é conhecer-me... Marcamos um encontro, eu desmarco. Adoro dar cortes. Ele diz que tem saudades. Depois de eu ter deixado bem claro que gosto de ir com calma, gosto do meu espaço, e acima de tudo não gosto de iludir, nem desiludir ninguém, marcamos outro encontro, eu apareço. Falamos de tudo e de nada. Partilhamos um pouco das nossas vidas, passeamos, e está ótimo. Gostei da companhia, e do passeio, mas já não o achei assim tão... Na noite em que o conheci tudo parecia melhor, o coração não falou quando o vi novamente... Vi-o simplesmente como mais um amigo.

 

Já o coração  dele deve ter falado, o moço diz-me que estou cada vez mais gira, e que está apaixonado. O drama, o horror... Gozo com ele, como assim apaixonado?! Ele diz que tudo é possível.

 

Quer marcar outro encontro, digo que não posso. Fica deveras triste. Eu faço piadas, digo que assim não fica farto de mim... Ele diz que tem saudades, novamente. Mais mensagens pirosinhas, e blá, blá, blá... Eu tento marcar outro encontro, ele fica novamente triste, porque vai de férias para o Algarve, e não pode ir... o meu pensamento: ah, liberdade, vai com deus!

 

Diz que quando voltar espera que o encontro ainda esteja de pé. Eu gozo, mais uma vez, digo-lhe que sou pro em dar cortes. Ele concorda.

 

Mais umas mensagens trocadas, umas fotos enviadas e recebidas. Digo-lhe umas coisinhas bonitas, vá, também não sou coração de pedra, mas se calhar não devia dizer nada... Ele resmunga, novamente, porque não lhe envio mensagens, eu digo-lhe para aproveitar as férias... Rais parta o gajo, que sensível! 

 

E quando ele profere as seguintes palavras, "está tudo bem com a minha menina?". Como assim, a tua menina?! Respondo-lhe apenas no dia seguinte, fui seca. Ele responde, eu não digo mais nada. No dia seguinte manda uma foto, ignoro. No dia seguinte, nova mensagem, voltou das férias, a dizer que está disponível para um café, eu volto a ignorar, nem sequer gosto de café... 

 

Enviou-me a mensagem no dia 19 de agosto, sábado. Até hoje estou a ignora-lo, será que devia dizer alguma coisa? É porque eu sei o que é estar à espera de quem não aparece, mais valia dizer-lhe alguma coisa, pobre coitado. O problema é, vou dizer o quê??

 

A Desconhecida

51 comentários

Comentar post

Pág. 1/2