Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1SimplesDesconhecido

Sou mais uma pessoa que decidiu criar um blog, entre milhares, o que me leva a acreditar que provavelmente ninguém vai ter interesse em ver mais um... mas mesmo assim, decidi experimentar! ;)

19
Nov16

Segredos...

… Todos os temos, às vezes são bons, às vezes não… vou contar-vos um segredo, preciso de me libertar dele, preciso de tirar este peso de cima dos ombros, preciso tanto! Estou neste momento a ler o livro, “O Inferno de Alice”, é uma história verídica, foi este livro que fez com que eu conseguisse contar isto!

 

Tento encontrar as palavras certas para escrever, mas não consigo, a verdade é que este segredo não tem nada de bom, é realmente difícil falar sobre ele, é a primeira vez que o faço! É mau, tenho vergonha dele… tinha 12 anos quando isto aconteceu, quando supostamente aquele tio, o marido da minha tia, o pai dos meus primos mais novos, era para mim uma boa pessoa, passou a ser um monstro horrível e nojento!!!

 

Quando me levou até ao escritório da casa, com o resto da família na cozinha: - “Ah vamos lá ver se o filme já está descarregado!?”. Eu fui, ele sentou-se e disse-me para me sentar no seu colo, hesitei, não o queria fazer!!! Mas ele insistiu, puxou-me pelo braço e eu sentei-me, a ver o tal filme, foi então que colocou uma das mãos por baixo da minha camisola e me apalpou os seios, dizendo, - “posso!?”. Soltei um tímido não… passou-me as mãos nas pernas. Eu Levantei-me e saí porta fora, em estado de choque, não queria acreditar que aquilo me tinha acontecido, porquê!? Porque é que aquela pessoa me tinha feito uma coisa daquelas!? Se eu não me tivesse levantado e ido embora, o que teria acontecido!? Será que eu era a primeira, a quem ele fazia uma coisa daquelas!?

 

Cheguei à cozinha e não contei nada… fui para casa completamente atordoada, a visualizar aquilo vezes e vezes na minha cabeça, e chorei debaixo dos lençóis. Já ele deve-se ter ficado a rir de mim, provavelmente fez-me aquilo, porque sabia que eu não diria nada a ninguém! Nunca tocou no assunto, foi como se nunca tivesse acontecido! Eu também nunca o confrontei! Às vezes até penso, será que aconteceu mesmo, é uma daquelas coisas que colocamos bem lá no fundo do poço, mas eu sei que aconteceu, infelizmente!

 

Depois deste episódio, só me lembro de ele tentar abraçar-me, uns beliscões nos braços, mas eu sempre o afastei ao máximo dos máximos, nunca mais estive sozinha com ele. Mas ele continuava a fazer parte da família, continuava a ser o marido da minha tia, o pai dos meus primos mais novos, toda a gente continuava a admirá-lo. E eu, eu era a “má da fita”, porque não olhava para ele, não falava para ele,  afastava-me dele, ignorava-o, continuo a ignorar depois de tantos anos passados, não confio nele, mete-me nojo, é falso, mas não me mete medo, isso não! O que é que eu vou fazer!?

 

Se contasse isto a alguém da minha família, a alguém amigo, à polícia!? o que diria à policia, o que aconteceria, acreditariam em mim, será que ele se ia embora de vez, será que a minha tia lhe pedia o divórcio, o que é que o resto da família pensaria, tentariam bater-lhe, chamar-lhe nomes, será que ele sairia definitivamente da minha vida!

 

Algumas vezes já estive quase a contar há minha mãe, com um grande nó na garganta, numa ou noutra conversa, em que falávamos sobre ele: - “Ah porquê, o que é que ele te fez?”, - “Não fez nada mãe, simplesmente não acho que ele seja assim tão boa pessoa como todos pensam!”…

 

Consigo esconder isto da minha mãe há tantos anos, ela que tem uma forma impressionante de me arrancar as coisas, nunca descobriu, e acho que nunca vou ser capaz de lhe contar, tenho vergonha, não consigo, fica ali entaladinho, mas não consigo abrir a boca e dizer! Provavelmente só vou conseguir contar isto a alguém mais "desconhecido"...

 

Consigo hoje escrever isto, sem chorar, libertar-me, impressionantemente este segredo nunca me afetou muito, nunca me mostrei triste, ou deprimida, simplesmente coloquei-o no fundo dos fundos, e ele nunca me afetou, em nenhum sentido, consigo confiar nas pessoas, consigo relacionar-me com elas, consigo estar à vontade com os rapazes, consigo sentir-me bem comigo própria, consigo tudo aquilo que eu quiser, consigo ter uma vida normal e sempre consegui,  não me sinto diferente, apenas tenho comigo este segredo, que a partir de hoje já não é só meu, e sabe bem, consigo mostrar àquele monstro que ele não me afetou, olhar para ele e acreditar que a vida se vai encarregar de lhe dar uma bela lição!

 

Nunca deixei que este segredo me deita-se abaixo, continuei, e continuo a ter uma vida muito feliz, uma adolescência feliz, com a minha família de verdade, com os meus amigos de verdade, para mim ele já não faz parte da família, apesar de estar quase sempre presente...

 

O que mais me custa é que ele continua a falar para mim, como se nada tivesse acontecido, tenta ser meu amigo, elogia-me, sorri para mim, impressionante, não é!? Odeio-o tanto tanto, nem acredito que a minha tia, alguém que eu amo, está casada com alguém assim, e os meus primos, têm um pai que é um monstro, mas olham para ele como se fosse o seu herói, custa-me tanto, custa-me ter de lidar com ele, custa-me que todos o vejam como um bom homem, custa-me não conseguir contar isto a alguém, talvez depois disto consiga, custa-me pensar que ele pode fazer mal a mais pessoas, se já não o fez!

 

 

Segredos...

 

A Desconhecida

 

 

24 comentários

Comentar post